terça-feira, 12 de janeiro de 2016

CINEMA-FORA-DOS LEÕES





O CINEMA-FORA-DOS LEÕES apresenta

Sexta-feira, 15 de Janeiro, 21h30
AUDITÓRIO SOROR MARIANA
Cineclube da Universidade de Évora

DERIVAS / 2015 - estreia, Ricardo Costacom a presença e apresentação do realizador Ricardo Costa*.

Programação de Janeiro de 2016:
22 de Janeiro - The Naked Island (1960), Kaneto Shindô.
29 de Janeiro - On the Bowery (1956), Lionel Rogosin.

Meio falido, inconformado, encontra-se agora o fotógrafo Ricardo em Lisboa. Está a carregar uma velha Kodak de fole, com a qual ainda criança tirou as suas primeiras fotografias, quando lhe aparece em casa o seu irmão António, vindo de Paris. Foi atropelado por um carro e ficou coxo. É um relojoeiro reformado que gosta de ajudar velhos amigos a reparar os relógios das torres de Lisboa. Trabalhou durante anos até se fartar e agora vinga-se a viajar por países exóticos.

Durante a sua estadia na cidade o António não pára, para curar a perna. É de vista curta, ao contrário do irmão, que vê bem ao longe e anda a fotografar Lisboa na esperança de dias melhores. Durante as suas andanças, ambos se cruzam com figuras insólitas. Uma delas é a Mariana, jovem universitária em Estudos Clássicos da Universidade de Letras, que se tornará amiga comum.

Curada a perna, farto de Lisboa, quebrando rotinas e afectos, o António apanha um paquete certa tarde cinzenta. Vai até Nosy Komba, a Ilha dos Lémures. Não sabe quando volta. Conformado, o Ricardo por cá fica, esperando que certas coisas mudem.


Ricardo Costa termina em 1967 os seus estudos na Faculdade de Letras de Lisboa, onde obtém licenciatura defendendo tese sobre os romances de Kafka : Franz Kafka, uma escrita invertida (1969). Lecciona no ensino secundário e torna-se editor de textos sociológicos e de obras de vanguarda, de literatura e de cinema (MONDAR Editores).

Com a Revolução dos Cravos, em 1974, inicia-se como realizador e produtor. Faz parte da cooperativa Grupo Zero, com João César Monteiro, Jorge Silva Melo, Alberto Seixas Santos e outros. Torna-se produtor independente com a Diafilme onde produz muitos dos seus filmes e alguns de outros realizadores.

É autor de ensaios sobre cinema, visão e linguagem. Organiza projecções e ciclos de filmes em Paris, na Cinemateca Francesa e no Museu do Homem. Filmada no limiar do documentário e da ficção, Brumas é a sua penúltima longa-metragem (60º Festival de Veneza, 2003 – Novos Territórios), seguida de Derivas (2016), um retracto de Lisboa, segundo filme da trilogia LONGES.
Mais informações: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ricardo_Costa_(cineasta)


Master Class com Ricardo Costa





Sem comentários: